Tomada de decisões no Gerenciamento de Áreas Contaminadas utilizando Avaliação de Risco à Saúde Humana

Carga Horária: 8h
Início: 20/01/2019

JUSTIFICATIVA:
Considerando a expansão urbana, áreas contaminadas vêm sendo utilizadas ou podem ter uma ocupação futura em todas as regiões do planeta. O uso destas áreas e a eventual exposição do homem aos contaminantes presentes pode conferir um potencial risco à saúde humana. Assim foram desenvolvidas as técnicas de avaliação de risco à saúde humana como ferramenta fundamental no processo de tomada de decisão. Sendo assim, qualquer projeto de gerenciamento de área contaminada deve utilizar a avaliação de risco, visando o estabelecimento de medidas de intervenção que visem o controle e a contenção da contaminação.

OBJETIVO:
Apresentar o conceito de gerenciamento de risco em áreas contaminadas e demonstrar o uso prático das Planilhas de Avaliação de Risco da CETESB (ACBR) e Planilha de Avaliação de Risco para estudos de Intrusão de Vapores da EPA. Apresentar os principais conceitos para avaliação e gerenciamento do risco à saúde humana, visando o desenvolvimento de estratégias para serem aplicadas no gerenciamento de áreas contaminadas buscando o equilíbrio do binômio custo-benefício.

PUBLICO ALVO:
Profissionais, Consultores, Gestores e Técnico com interesse na área de Gestão de Passivos Ambientais de Solos e Águas Subterrâneas.

INSTRUTORA:
Dra. Silvia Cremonez Nascimento, Consultora em Projetos de Diagnóstico, Remediação e Avaliação de Risco à Saúde Humana em sites contaminados por compostos orgânicos e inorgânicos (Hidrocarbonetos derivados de petróleo, Organoclorados, PCBs, Pesticidas e Metais Pesados).
Doutora em Hidrogeologia/ Geoquímica Ambiental pela Universidade de São Paulo. Bacharel em Ciências Biológicas (UNESP). Atuou como Assistente Técnico do Ministério Público do Estado de São Paulo, na empresa Servmar Serviços Técnicos Ambientais onde desenvolveu e acompanhou projetos de remediação e biorremediação (aplicação de biosurfactante para sites contaminados com hidrocarbonetos derivados de petróleo) e na empresa BTX, Geologia e Meio Ambiente em projetos de diagnóstico ambiental.